sábado, 18 de agosto de 2007

Não quero descobrir todas as respostas, não preciso entender tudo, qual é a realidade atrás do pote de ouro no final do arco-íris? Sonhos que vão embora como a brisa do mar, o amor que sai pela janela e a gente nem vê. Canto as minhas verdades em troca de algumas migalhas de afeto, sussurro no teu ouvido meu ódio secreto, e mesmo não sabendo e não tendo nexo, acredito no pôr-do-sol dos seus olhos. As borboletas querem me ver livre, mas eu quero me ver no teu reflexo, nem que seja por esse momento. Se tudo amanhã não passar de sonho, invento novas verdades em troca de novos afetos, paradigma infinito e direto, utopias soltas ao relento, eu só sei que hoje eu quero, e que é doce apesar de complexo, e pela primeira vez na vida, isso me basta.

Um comentário:

Israel (Peace) disse...

a vida é doce....Depressa demais....